Atendimento

Nosso canal de Relacionamento

413356-9616

Serviços

 

Plano de Proteção Radiológica

O serviço, busca atender as exigências de requisitos operacionais de liberação da licença sanitária conforme normativas da Portaria 453 de 1° de Junho de 1998 da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária e, em conjunto, a portaria interministerial NR-32 do Ministério do Trabalho.

 

Trata-se do plano que indica responsabilidades e responsáveis e traça um plano de ação para os setores envolvidos em radiodiagnóstico.

 

A validade do PLANO DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA é de dois anos. Após realizado uma vez, basta fazer sua renovação.


Laudo Radiométrico

Este procedimento visa verificar possíveis focos de vazamento de radiação através das barreiras protetoras (paredes e portas) da sala dos aparelhos de tipo FIXO. Ele deve validar as barreiras propostas no PROJETO DE RADIOPROTEÇÃO.

 

Consiste em um projeto com memorial de cálculo de blindagens atualizado de forma a atender as exigências de liberação da licença sanitária conforme normativas da Portaria 453 de 1° de Junho de 1998 da ANVISA. É fornecido após a aferição em um laudo técnico assinado pelo físico médico responsável.

 

A execução do LAUDO RADIOMÉTRICO inclui automaticamente o PROJETO DE RADIOPROTEÇÃO. Para aparelhos móveis, este laudo resume-se ao teste de radiação de fuga.

 

A validade do LAUDO RADIOMÉTRICO é de 4 anos, desde que NÃO ocorram alterações na sala, alterações no posicionamento dos equipamentos, troca de equipamentos ou mudanças no entorno da sala.


Controle de Qualidade
O radiodiagnóstico ou radiologia diagnóstica é uma importante prática na medicina e na odontologia. A tecnologia avançada deste setor associada à eficácia dos exames e uso da radiação ionizante são os principais motivos para o estabelecimento de um Programa de Garantia da Qualidade.   Os aparelhos envolvidos nestas técnicas são cada vez mais sensíveis e precisos, tornando-se assim a fundamental a detecção de desvios e possíveis ajustes mecânicos e de funcionamento, de modo a garantir que estes aparelhos mantenham um desempenho à altura de seu alto custo de aquisição.   O uso de altas energias no equipamento promove ainda desgastes que podem ser detectados num controle de qualidade, poupando peças e manutenções desnecessárias. Ainda, a eficácia dos exames, ou seja, a obtenção da imagem que permite um diagnóstico correto, deve ser assegurada ao cliente.   O controle de qualidade é exigência da Vigilância Sanitária, de acordo com a Portaria 453 de 1° de Junho de 1998 item 3.9 – IX.   A validade do CONTROLE DE QUALIDADE varia para diferentes equipamentos e seus componentes. Consulte a Tabela:  
Treinamentos
Refere-se à aplicação do “Curso de Atualização em Proteção Radiológica”, para o atendimento da NR 32 e Portaria 453 da ANVISA.

 

Este curso pode ser realizado nas dependências do cliente, em local apropriado providenciado pelo mesmo ou em nossa sede própria na cidade de Colombo / PR (cerca de 8 km do centro de Curitiba).

 

A validade do TREINAMENTO é de 1 ano, e deve ser realizado por toda a equipe de radiodiagnóstico.
Projeto de Radioproteção
Projeto de blindagem das salas executado por Físico Médico, que é o profissional responsável pelo cálculo das barreiras que irão proteger funcionários, pacientes e acompanhantes dos efeitos nocivos da radiação. Esse projeto prevê a assistência técnica não presencial para o cálculo dos materiais necessários através de soluções particulares para cada execução.

 

O projeto de radioproteção específico deve ser apresentado para aparelhos emissores de radiação tipo FIXO, junto com a petição do alvará de funcionamento junto à Secretaria de Saúde. Ele tem sido exigido pela Vigilância Sanitária, de acordo com a Portaria 453 de 1° de Junho de 1998, item 3.6 (d) da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), na análise que antecede a aprovação do pedido de licença.

 

É também obrigatória sua apresentação por ocasião da renovação do alvará de funcionamento. Ademais, este projeto consiste no memorial de cálculo de blindagens que fornece as espessuras de blindagem das barreiras além de salvaguardar os responsáveis legais de qualquer processo trabalhista que envolva perícias de insalubridade.

 

A validade do PROJETO DE RADIOPROTEÇÃO é indeterminada, desde que NÃO ocorram alterações nas salas, troca de posicionamento dos equipamentos, troca de equipamentos ou mudanças no entorno da sala.